Palavras….

As palavras são assim, disfarçam muito, vão-se juntando umas com as outras, parece que não sabem onde querem ir, e de repente, por causa de duas ou três, ou quatro que de repente saem, simples em si mesmas, um pronome pessoal, um advérbio, um verbo, um adjetivo, e aí temos a comoção a subir irresistível sentimentos, às vezes são os nervos que não podem aguentar mais, suportaram muito, suportaram tudo, era como se levassem a armadura. A mulher do médico tem nervos de aço, e afinal a mulher do médico está desfeita em lágrimas por obra de um pronome pessoal, um advérbio, de um verbo, de um adjetivo, meras categorias gramaticais, meros designativos [….].

José Saramago
Ensaio sobre a Cegueira p267, 1922.

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: