Chapa eleições da FAP – 2019

Semana de diálogo com a Comunidade Acadêmica da Faculdade de Artes do Paraná .
Sabedoras do momento político, econômico e social pelo qual nosso país atravessa, em especial, no contexto da Educação Pública, e sabedoras do potencial profissional e comprometido com o Ensino Superior Público dos agentes universitários, estudantes e docentes que integram a comunidade acadêmica da Unespar/Campus de Curirtiba II / Faculdade de Artes do Paraná, eu e Professora Noemi, sentimo-nos motivadas a colocar nosso nome à disposição de vocês para concorrer a Direção e Vice-Direção do Campus de Curitiba II/FAP.

Projeto Café com Memória: Professoras Cinira Mezzadri e Jônia Messagi

Musicoterapia no Paraná

Congresso Mundial de Musicoterapia 2020

https://www.up.ac.za/music-therapy-2020/article/2722335/call-for-papers

Solidão – Alceu Valença

Solidão

Alceu Valença

A solidão é fera, a solidão devora.
É amiga das horas prima irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos,
Causando um descompasso no meu coração.

A solidão é fera, a solidão devora.
É amiga das horas prima irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos,
Causando um descompasso no meu coração.

A solidão é fera,
É amiga das horas,
É prima-irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos
Causando um descompasso no meu coração.

A solidão dos astros;
A solidão da lua;
A solidão da noite;
A solidão da rua.

A solidão é fera, a solidão devora.
É amiga das horas prima irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos,
Causando um descompasso no meu coração.

A solidão é fera,
É amiga das horas,
É prima-irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos
Causando um descompasso no meu coração.

A solidão dos astros;
A solidão da lua;
A solidão da noite;
A solidão da rua

Todo Homem Precisa de uma Mãe

 

O sol, manhã de flor e sal
E areia no batom

Farol, saudades no varal
Vermelho, azul, marrom

Eu sou cordão umbilical
Pra mim nunca tá bom

E o sol queimando o meu jornal

Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu, espuma de maçã
Barriga, dois irmãos

O meu cabelo negra lã
Nariz, e rosto, e mãos

O mel, a prata, o ouro e a rã
Cabeça e coração

E o céu se abre de manhã
Me abrigo em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

Zeca Veloso

Sombra

Minha sombra,
é o Eu que desconheço,
mas que persigo.
Só a vejo quando me exponho a Luz,
projeção intocável da carne, corpo e espírito,
inatingível forma do meu Ser.
(Noemi N. Ansay)

 

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: