Samaritano



Samaritano

Ninguém foi capaz de ver sua beleza,

o brilho dos olhos, a alma quebrada e o corpo ferido,

o nó na garganta, o choro contido, o acabrunhamento.

Os passantes não pararam,

nem o levita, nem o sacerdote.

A tempestade desabou sobre todos,

os olhos castanhos gritaram,

mas ninguém ouviu sua voz.

Atrás das nuvens de chumbo,

um arco coloriu o céu,

e o cheiro da terra molhada,

fez renascer a vida,

a bondade fez brotar esperança,

na terra ainda habitavam

raros samaritanos.


n.n.a


Foto: Metrô de São Petesburgo/Rússia

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: