O livro 
O ensino superior para estudantes com deficiência no Chile e no Brasil aborda, por meio de um estudo comparado, as políticas de acesso para o público alvo da educação especial do Chile e Brasil. Ambos são países latino-americanos com trajetórias históricas, educacionais e políticas singulares, no entanto, e que  têm o desafio de garantir o acesso de pessoas com deficiência ao ensino superior. A autora realizou uma pesquisa a partir da metodologia da educação comparada, identificando diferenças e semelhanças, discutindo a atualidade e as perspectivas futuras para esses grupos de estudantes no ensino superior de ambos os países. Para construção dos dados, além da pesquisa bibliográfica e documental, a autora realizou entrevistas semiestruturadas com estudantes universitários com deficiência e gestores das universidades, tanto no Brasil como no Chile. Por seu conteúdo marcante e atual, a leitura deste livro torna-se uma excelente fonte para a análise conjuntural do contexto educacional, das políticas de financiamento, das políticas de acesso ao ensino superior no Chile e no Brasil e da participação desses estudantes e da sociedade civil no processo político. Dessa maneira, propõe-se que, para além do marco legal já estabelecido, as universidades garantam os direitos educacionais dos estudantes com deficiência em ambos os países.

“Secret Love Affair”, uma série para quem ama música

Trilha sonora da série coreana da Netflix, Secret Love Affair, belíssima trilha musical.

Veredas – Musicoterapeuta na América Latina



https://www.youtube.com/watch?v=UKdSjb-IunE&list=PLQFwygrAb4hy2lQnogFTActlq6mzLXwLu&index=3


https://www.youtube.com/watch?v=rkfOBv56AQE&list=PLQFwygrAb4hy2lQnogFTActlq6mzLXwLu&index=4

https://www.youtube.com/watch?v=lyQak3vaS5M&list=PLQFwygrAb4hy2lQnogFTActlq6mzLXwLu&index=5

Musicoterapia social comunitária na América Latina

Acalanto da voz masculina

“A voz masculina também acalanta!”
[…] a voz grave, masculina tem estreita identificação com as situações de proteção. Consequentemente ela pode atuar na construção de momentos de tranquilidade e conforto.”

Liane Guariente

15 de setembro – Dia do Musicoterapeuta

Documentos

Definição da Brasileira de Musicoterapia em três eixos: Disciplina, Prática e Profissão.

“Musicoterapia é um campo de conhecimento que estuda os efeitos da música e da utilização de experiências musicais, resultantes do encontro entre o/a musicoterapeuta e as pessoas assistidas. A prática da Musicoterapia objetiva favorecer o aumento das possibilidades de existir e agir, seja no trabalho individual, com grupos, nas comunidades, organizações, instituições de saúde e sociedade, nos âmbitos da promoção, prevenção, reabilitação da saúde e de transformação de contextos sociais e comunitários; evitando dessa forma, que haja danos ou diminuição dos processos de desenvolvimento do potencial das pessoas e/ ou comunidades.

O musicoterapeuta é o profissional de nível superior ou especialização, com formação reconhecida pelo MEC e com registro em seu órgão de representação de categoria. Ele/a é habilitado/a a exercer a profissão no Brasil. Ele/a facilita um processo musicoterápico a partir de avaliações específicas, com base na musicalidade e na necessidade de cada pessoa e/ou grupo. Estabelece um plano de cuidado e um processo musicoterápico a partir do vínculo e de avaliações específicas atendendo às premissas de promoção da saúde, da aprendizagem, da habilitação, da reabilitação, do empoderamento, da mudança de contextos sociais e da qualidade de vida das pessoas, grupos e comunidades atendidas. O musicoterapeuta pode atuar em áreas como: Saúde, Educação, Social / Comunitária, Organizacional, entre outras”.

Para citá-la, utilize a referência

UNIÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE MUSICOTERAPIA. Definição Brasileira de Musicoterapia. 2018. Disponível em: http://ubammusicoterapia.com.br/definicao-brasileira-de-musicoterapia/.

De acordo com a  Federação Mundial de Musicoterapia (World Federation of Music Therapy), “A Musicoterapia é a utilização da música e/ou seus elementos (som, ritmo, melodia e harmonia) por um musicoterapeuta qualificado, com um cliente ou grupo, num processo para facilitar e promover a comunicação, relação, aprendizagem, mobilização, expressão, organização e outros objetivos terapêuticos relevantes, no sentido de alcançar necessidades físicas, emocionais, mentais, sociais e cognitivas.
A Musicoterapia objetiva desenvolver potenciais e/ou restabelecer funções do indivíduo para que ele/ela possa alcançar uma melhor integração intra e/ou interpessoal e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida, pela prevenção, reabilitação ou tratamento” (REVISTA BRASILEIRA DE MUSICOTERAPIA, p. 4, 1996).

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: