Lullabies

Lullaby

Durma minha menina,
lá fora faz tanto frio
a desesperança cai sobre a cidade
e a noite cobre o mundo.

Durma meu menino,
com seus pequenos tesouros
um estilingue, uma bala,
um bilhete da menina amada.

Durma, durma,
viaje nos sonhos
beije sua mãe
abrace seu pai.

Durma embalado ao som,
da doce voz
da flauta
e do violoncelo.

Durma meu anjo,
dentro dos teus sonhos
encontrarás respostas
para suas dúvidas
e alegria para o teu pesar.

Noemi N. Ansay

Xodós

Xales de caxemira,
Xaxins de samambaias,
Xilofones, caxixis, caixas,
Xácaras dos xeiques,
Xilogravuras em xícaras,
Xote, xerém, xaxado,
Xamegos e xodós.

Noemi N. Ansay

Imagem X: Mari Suoheimo Nascimento

download

“Se juntan dos palomitos” de Violeta Parra en lengua de señas (LSCh)/ Poema: Chileno

Chileno

Cabe en mi corazón latinoamericano:

sus desiertos solitarios,

sus cordilleras heladas,

tu abundantes lluvias,

sus salares, volcanes e islas,

sus temblores y terremotos.

 

su cara con rasgos mapuches,

sus ojos almendrados,

su piel morena,

su olor de Araucaria

su cuerpo que se parece más a un oasis.

 

sus pueblos originarios:

Ayamara Changos, Chonos,

Atacameña, Rapa Nui,

Selk’nam, Yamana,

Kawashkar, Tehuelche y Mapuche.

 

sus sonidos y silencios,

tu arpa y la guitarra,

la voz de Violeta Parra y Víctor Jara,

tus bailes chilenos:  cueca campesina, criolla  y valseada,

sus cumbias y fusiones musicales.

 

sus grandes pintores:

González, Puelma Abarca, Adulnate,

sus grandes poetas:

Pablo Neruda, Gabriela Mistral, Nicanor Parra,

tú eres en prosa y verso.

 

sus contradicciones,  tan humano …

su inconformismo por los muertos de la dictadura,

tu gran dolor,

su grito atrapado en la garganta,

su deseo de cambio.

 

sus lágrimas y tu risa,

su juventud y su vejez,

sus ganancias y pérdidas,

tu amor y tu odio,

Su guerra y su paz.

 

sus fronteras y la geografía,

latitudes y longitudes,

su extremo sur,

tu amor que cruza la Cordillera,

todo cabe en mi corazón latinoamericano.

 

Noemi N. Ansay

Os Teus Olhos me viram…

“Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra.
Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.
E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grandes são as somas deles!”
Salmos 139:16,17

 

 

Hiroshima, 72 anos da bomba

 

Hiroshima, 72 anos de uma barbárie, onde seres humanos jogaram intencionalmente uma bomba nuclear em outros seres humanos.

Hiroshima ou Hiroxima (広島市, Hiroshima-shi) é a capital da província de Hiroshima, no Japão. É cortada pelo rio Ota (Ota-gawa), cujos seis canais dividem a cidade em ilhas. Cresceu em torno de um castelo feudal do século XVI Recebeu o estatuto de cidade em 1558.

Em 6 de agosto de 1945, foi a primeira cidade do mundo arrasada pela bomba atômica de fissão denominada Little boy, lançada pelo governo dos Estados Unidos, resultando em 250 000 mortos e feridos.

Wikipedia

Hiroshima

Hiroshima

Quando a dor abateu teu coração

e a morte chegou sem avisar.

Quando as rosas murcharam

e teu corpo foi ferido.

Quando as casas caíram

e tuas crianças morreram.

Levantaste das cinzas,

resiliente,

plantastes rosas,

ergueste teus muros e casas.

Não importa o quanto os maus investirem,

o ódio e a vingança não compensam,

por fim o AMOR vencerá.

Noemi N. Ansay

O Memorial da Paz de Hiroshima, chamado Cúpula Genbaku (原爆ドーム) ou Cúpula da Bomba Atômica pelos japoneses, localiza-se em Hiroshima, Japão. O hipocentro da explosão atômica de 6 de Agosto de 1945 situou-se apenas a 150 metros de distância do edifício, que foi a estrutura mais próxima a resistir ao impacto.

A Cúpula Genbaku deveria ter sido demolida com o restante das ruínas, mas o fato de ter ficado praticamente intacta adiou os planos. Enquanto a cidade era reconstruída em torno do domo, sua permanência tornou-se motivo de controvérsia; alguns moradores queriam sua destruição, enquanto outros preferiam que a estrutura fosse preservada como um memorial do bombardeio.

Em 1966, Hiroshima declarou a intenção de preservar a agora chamada “Cúpula da Bomba Atómica” de forma definitiva. Trinta anos depois, em dezembro de 1996, a construção foi registrada como Património Mundial da UNESCO, baseado na Convenção sobre a Proteção do Patrimônio Cultural e Natural.
Wikipédia

Dia de Festa

Dia de Festa

Nada foi mais real do que aquela música,

tocada a quatro mãos,

quase no final do inverno.

Para a maioria foi inaudível, atonal,

desproporcional, minimalista.

Para o cérebro, um turbilhão de ideias:

neve no verão, flores no deserto, luz na escuridão.

Para o peito: uma dor e um sossego,

casa vazia, solidão em dias frios,

festa de criança, gritos pela varanda,

doçura dos dias vividos,

esperança para os que virão.

( Noemi N. Ansay)

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: