Rivânia de Pernambuco

 

319ad544-cd9b-4bda-b759-a9658f447e5e

 

Rivânia de Pernambuco

Bem longe daqui, na Zona Mata Sul de Pernambuco,
no município de São José da Coroa Grande,
na Várzea do Una, chove impetuosamente,
uma enchente assola os moradores ribeirinhos.

De dentro de uma das casas,
quase tomada pelas águas,
ouve-se uma voz embargada, é a avó Maria Ivânia:
– Rivânia, Rivânia, minha filha, salve o que é mais importante pra você!

Rivânia, aquela que mora em “terras adjacentes ao rio”,
corre para salvar seu precioso acervo,
seus livros escolares,
coloca-os na mochila e corre para a jangada.

Rivânia, a destemida, com apenas oito anos,
viaja rio afora, olhos marejados,
abraçada na mochila de muitas cores,
não descuida de seu tesouro por nenhum momento.

Rivânia de Pernambuco,
Rivânia da Várzea do Una,
Rivânia neta de Maria Ivânia e Eraldo Luís,
Rivânia de oito anos,
Rivânia a estudante,
Rivânia a amante dos livros,
Rivânia a menina que salvava livros.

Noemi N. Ansay

 

https://www.meionorte.com/noticias/menina-salva-livros-em-enchente-e-foto-dela-abracada-a-eles-comove-319423

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2017/06/menina-salva-livros-ao-fugir-de-enchente-em-pe-e-comove-web.html

Suculentas na Banheira

Suculentas

Sulentas na Banheira

Naquela banheira cresceram suculentas das mais variadas,
só precisavam de sol e um pouquinho de água,
enchiam os olhos dos passantes,
que de enamorados, entregavam-se aos seus encantos.

Carpete-dourado, Olho-de-Gato, Flor-de-Maio,
Huernia, Aortia, Planta-Fantasma,
Gastéria, Echevéria, Planta-Jade,
Bálsamo do Jardim, Orelha-de-Coelho.

Tão sábias essas plantinhas,
resistentes, não exigem muitos cuidados,
enfrentam o sol escaldante, sem medo,
acumulam água, para os dias áridos e difíceis.

Noemi N. Ansay

Noemi com suculentas

Café,Bar,Flores – Botanique
Rua Brigadeiro Franco, 1193
Curitiba

Cão e Gato

Tenho um cão e um gato

que há tempos amigos são

partilham o mesmo prato

sem nenhuma hesitação.

 

O cão é fiel amigo

O gato não tem coração

O cão atento comigo

O gato sem preocupação.

 

Cada bicho do seu lado

chamando minha atenção

não quero ser partidária

mas acabo em confusão.

 

O cão procura faceiro

pela minha aparição

o gato dorme sereno

bem debaixo do meu colchão.

 

Noemi N. Ansay

Livro: Portas Abertas – Poética do Cotidiano – Noemi N. Ansay – 2010

CAPA (2) 1

Portas AbertasLIVRO Portas abertas – a poética do cotidiano

Publiquei o livro  “Portas Abertas” em 2010. Meu objetivo era revelar a poética do cotidiano, a vida que se desnuda nas mínimas coisas, na vida das pessoas, dos lugares, e a busca pelo Divino.
Esse livro foi a expressão de uma ousadia pessoal, foi uma produção independente e autofinanciado.
Hoje me dei conta, que só tenho um exemplar, dos 600 impressos, a maioria consegui vender e doei alguns para pessoas especiais em minha vida.Por isso decidi colocar o arquivo em pdf no meu blog.
A quem desejar, boa leitura!!!!

Imagens: Mari Suoheimo

Árvore de Roupinha

Hoje na paisagem curitibana
Vi uma árvore de roupinha de crochê
Perguntei em pensamento:
– Onde já se viu, tanta boniteza?

A árvore toda faceira,
respondeu num sussurro:
– Quem é vestida de amor,
sempre encanta os olhos de quem vê!
(Noemi N. Ansay)

— em Cristo Rei.

Anjos de Khan Sheikhoun

Anjos de Khan Sheikhoun [i]

 

Minha doce criança:

- Hoje, quando o sol se pôr,

a insanidade dominará os homens,

as trevas cobrirão a terra e cairá sobre a cidade uma nuvem mortífera,

que invadirá, sem pedir licença, os corpos, as casas e as ruas.




E se despertares, meu anjo querido,

sentirás em teu frágil corpo,

o ataque brutal dos senhores da guerra,

a intolerância, o ódio e a fúria da ganância humana.




O gás da morte te fará sofrer,

sentirás falta de ar e náuseas,

é possível que tuas mãozinhas e pezinhos tremam

e teus brilhantes olhinhos ardam muito.




Eu bem sei, pequena criança,

que não será nada fácil

e que lutarás com todas as tuas forças para viver,

até o último momento, até o último suspiro.




Ah, minha querida criança, como desejarei que vivas,

para testemunhares que o ódio não compensa,

mas, se não o puderes, parta em paz,

uma multidão de anjos te espera,

não tens culpa da barbárie humana.




Envergonhada e constrangida só te faço uma prece:

-Perdoa a humanidade,

perdoa os povos da Terra,

perdoa os adultos que não te protegeram,

perdoa a insensatez dos burocratas,

perdoa nossa incapacidade de amar.




-Perdoa e com teu coração puro

nos liberte do ódio,

nos ensine que a vida é uma dádiva,

que para ser feliz não precisamos de muito,

que uma vida tem um valor incalculável,

que o ódio só produz ainda mais ódio,

mas o amor, ah o amor é que nos humaniza

e nos aproxima da natureza divina.




[i]  In memorian das 27 crianças , mortas no dia 04/04/2017, por ataque químico ( gás sarin) na cidade de Khan Sheikhoun na Síria.

Segue o teu destino, Rega as tuas… Fernando Pessoa

Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.

A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós-próprios.

Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras
Como ex-voto aos deuses.

Fernando Pessoa

Philip Glass – Metamorphosis

Metamorfose

 

não sou o que era antes

e nem serei amanhã o que sou hoje,

vivo a temeridade  e a exuberância

da metamorfose todos os dias.

 

 

larva, asquerosa, repugnante,

pupa pendurada em uma folha,

crisálida silenciosa, grávida de vida,

aguarda ser  borboleta.

( Noemi N. Ansay)

Imagem: http://cultura.estadao.com.br/blogs/estado-da-arte/falando-de-musica-philip-glass-faz-80-anos/

 

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: